Ultimas

Alagoas

CAMPEONATO BRASILEIRO

DESTAQUE DE HOJE

11/01/2019

CSE: Justiça do trabalho penhora estádio Juca Sampaio por dividas em 2018

Foto: Arquivo Palmeira Esporte
Uma reclamação trabalhista de 17 de maio de 2018 (RTSum-0000161-35.2018.5.19.0063),  promovida por oito atletas (Leandro Thomas Batista da Silva,  Josias Miranda da Costa Neto, Lucas da Silva Santos, Saulo Rafael da Silva, Julio Andre Avelino do Nascimento, Diogo Jurandir Batista, Domivanio Alves de Souza Junior, Gilberto Francisco Martins, Andre Pereira dos Santos) decorrente da atual administração do presidente Antônio Umbelino da Silva que possui o lastro financeiro da gestão do Prefeito Julio Cezar pode deixar o Clube Sociedade Esportiva, o glorioso CSE sem estádio.
A dívida inicial cobrada pelos jogadores ainda sem o cálculo dos juros e multa é de R$121 mil.
Sem nenhum recurso em conta corrente em que pese a Lei municipal n.º 2.120, de 02 de março de 2017 que autoriza o Município de Palmeira dos Índios a destinar  ao clube tricolor R$100 mil quando o time estiver  em atividades profissionais e até R$50 mil nos demais períodos, os reclamantes não lograram êxito na tentativa de bloquear as contas do CSE e partiram para penhorar o patrimônio do clube.
No cartório do 2º Ofício o Estádio Juca Sampaio está registrado em nome do CSE e a escritura pública data de 1961.
A juíza Caroline Bertrand Rodrigues Oliveira  de posse do documento determinou então que se penhorasse o Estádio Juca Sampaio para que em leilão possa apurar o quanto devido aos atletas e sanar a dívida.

O estádio que fica localizado em área nobre da cidade está avaliado em R$600 mil reais e qualquer cidadão poderá arrematar para si, desde que pague a quantia em juízo, quando a praça da leilão for executada.
O presidente  Antonio Umbelino da Silva figura como parte ré na ação e também pode ser responsabilizado financeiramente pela dívida.

Relembre o caso
Após uma derrota no campeonato alagoano de 2018 por 4 a 1 para o Dimensão Saúde, bastante irritado, o prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar (PSB) concedeu entrevista ao radialista Anselmo Robério na Palmeira FM, comentando a derrota do Time.
Júlio Cezar afirmou na época que o time era fraco, que não sabe de onde vieram os jogadores e que não é seu papel na condição de prefeito contratar atletas. “Acho que esses jogadores foram vendidos para o Dimensão Saúde, dei todas as condições desde o campo e as passagens para os jogos”.
“Esse time fez vergonha e não quero ver nenhum jogador na cidade. Devolvam a camisa para ser lavada com sal grosso”, disse o prefeito, tentando justificar o fracasso do clube no campeonato de 2018.

O CSE acabou rebaixado e os atletas, hoje reclamantes na Justiça do Trabalho, antes mesmo de terminar o campeonato foram demitidos, em razão do destempero do prefeito à época.
Fonte: Tribuna do Sertão

Palmeira dos Índios

galeria de fotos

OUTROS ESPORTES

 
Copyright © 2013 Palmeira Esporte Notícias
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates