Ultimas

21/10/2015

Em fórum, FAF alerta: quem não entregar certidões será rebaixado

Foto: Tnh1
A Federação Alagoana de Futebol (FAF) realizou nesta terça-feira (20), no auditório do Estádio Rei Pelé, o I Fórum do Futebol Alagoano, focado na temporada 2016. Estiveram presentes dirigentes da FAF e dos clubes da primeira e segunda divisões do Estadual, além da imprensa.
O assunto mais pertinente do dia foi a respeito do Profut (Programa da Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro). Entre outras determinações, a Medida Provisória 671, sancionada pela presidente Dilma Rousseff, obriga aos clubes brasileiros apresentarem as certidões negativas da Receita Federal, INSS, FGTS e Justiça do Trabalho, para poder disputar competições oficiais a partir de 2016.
Afirmando que não irá “passar a mão na cabeça dos clubes”, a FAF ainda disse, durante o fórum, que “quem não tiver as certidões, será rebaixado”. Até o momento, somente quatro clubes que irão disputar o Campeonato Alagoano 2016 estão aptos e com todas as certidões necessárias: CRB, Coruripe, Santa Rita e Ipanema. Por outro lado, CSA, ASA, Murici e CSE, como também o Penedense (que garantiu acesso na Segundona) e o Sete de Setembro ou São Domingos (que brigam pela segunda vaga para a primeira divisão), ainda precisam entregar as certidões para disputarem o Estadual.
Os clubes têm até o arbitral da competição, que deve acontecer no dia 17 de novembro, podendo se estender até o final do mesmo mês, para entregarem todas as certidões. Do contrário, serão punidos do Estadual e rebaixados. “Tivemos uma conversa preliminar na semana passada, pedimos para que fosse feito esse levantamento (por parte dos clubes) e que trouxessem para o fórum as suas realidades, que a gente não conhece ainda. A gente criou um problema muito grande, que de fato pode ser, mas também pode até nem ser, porque talvez os clubes já tenham essas certidões e nem saibam. Então, pedimos para que eles trouxessem o que já tinham conseguido e o que ainda precisam, para a gente unir forças para que os clubes consigam as certidões até o final do prazo”, disse ao TNH1 o presidente da FAF, Felipe Feijó.
Segundo ele, somente os mesmos quatro clubes continuam aptos para disputar o campeonato e não houve nenhuma nova entrega de certidões durante o fórum. “Os clubes precisam entregar essas certidões até o arbitral, porque a gente não pode bolar um campeonato, ou estabelecer uma forma de disputa, uma tabela e um calendário sem a gente ter certeza de que os clubes irão participar. A gente entra naqueles mesmos problemas de ter um campeonato formatado para 10 clubes e de repente ter apenas sete”, completou o presidente da entidade ao TNH1.
Felipe Feijó diz que está cobrando certidões aos clubes. Foto: TNH1
Outros pontos
Ainda durante o fórum, as representantes do departamento jurídico da FAF, Larissa Calheiros e Leilane Marinho, alertaram que os clubes alagoanos deverão adequar seus estatutos ao Profut, citando como exemplo o tempo de mandato de quatro anos para cada dirigente, com direito a uma reeleição.
“O futebol precisa se profissionalizar, então é preciso se habilitar, pagar tudo direitinho, não dever, fazer contrato. É estar sempre seguindo a legislação, sob pena de tornar inviável a atividade esportiva. Do mesmo jeito que os clubes e a federação têm direitos, eles vão ter também obrigações, cobradas maçantemente, com a criação dessa agência (que regula o Profut) e com a necessária mudança dos estatutos”, declararam.
“Não adianta chegar nas vésperas do campeonato e não ter as certidões, porque não vai poder participar da competição e não vai ter ‘ajuda divina’ para conseguir a participação do clube no campeonato. Então, é necessário ter em dia a obrigação tributária, se não vai ser rebaixado da competição. E dependendo da situação, será promovido outro clube, desde que também atenda todos os requisitos”, completou o departamento jurídico da FAF.
Com essas novas exigências e necessidade de ampliar as contribuições tributárias com a União, os clubes terão consequentemente gastos maiores. Durante o fórum, o presidente do ASA, Bruno Euclides, se pronunciou e afirmou que por conta disso, o clube arapiraquense terá que ‘cortar na carne’ e reduzir os salários dos jogadores no ano que vem, para que o alvinegro não tenha problemas para quitar essas novas despesas.
Ainda no Fórum do Futebol Alagoano, o presidente da Comissão Estadual de Arbitragem de Alagoas (CEAF-AL), Hércules Martins, informou que a federação e a comissão estão investindo na capacitação e preparação dos árbitros para o Campeonato Alagoano 2016. A FAF ainda conversou com os clubes sobre detalhes a serem abordados no arbitral para a competição, sobre laudos dos estádios e um planejamento de marketing para a próxima temporada.
Fonte: Tnh1


Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Palmeira Esporte
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates